Grandes Centros de P&D: o Bioquímico no INMETRO

por | nov 12, 2014

A Guilherme Pinheiro é Bioquímico, pela UFV, turma de 2002. Possui Mestrado em Bioquimica Agricola pela Universidade Federal de Viçosa (2007) e atualmente é pesquisador-tecnologista do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia - INMETRO.
- (Bioquímica Brasil) Guilherme, em que se diferencia o cargo de pesquisador-tecnologista no INMETRO para o cargo de professor/pesquisador universitário, que os alunos de bioquímica mais conhecem?
(Guilherme) Sancionada em dezembro de 2011, a Lei 12.545 alterou não apenas a denominação do Inmetro – que é, agora, Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia –, mas também o seu marco legal, ampliando as suas atribuições e a de seus pesquisadores. Dentre as alterações, cabe ressaltar: ampliação do leque de parcerias com instituições públicas ou privadas, incluindo a concessão de bolsas de pesquisa, para o desenvolvimento de projetos de tecnologia de produto ou de processo; viabilização de parcerias com entidades de ensino para a formação e a especialização profissional nas áreas de atuação do Inmetro, com a possibilidade de criação de programas de residência técnica e a criação de programas de pós-graduação. Dessa forma, a atuação do pesquisador do Inmetro, principalmente com título de Doutor, passou a apresentar diversas semelhanças com a do professor universitário, a saber: atuação como coordenador de projetos de pesquisa, atuação como orientador de estudantes de graduação e pós-graduação e professor em disciplinas de pós-graduação. No entanto, grande parte da carga horária é voltada para a pesquisa, uma vez que não há cursos de graduação vinculados, o que diminui o número de horas-aula, em relação ao professor universitário. Além de atuar em diversos projetos de cunho científico, o pesquisador do Inmetro tem como atribuição garantir a rastreabilidade aos padrões metrológicos, seja por meio do desenvolvimento de materiais de referência, validação de métodos ou apoio técnico em comparações interlaboratoriais e ensaios de proficiência.
- Para o bioquímico é fácil verificar a inserção da bioquímica na Embrapa (bioquímica agrícola) ou na Fiocruz (bioquímica médica), mas e no caso do INMETRO? Como a bioquímica e biotecnologia estão inseridos no Inmetro? Quais são os principais projetos nessa área?
Como parte das atividades da Diretoria de Metrologia Aplicada às Ciências da Vida (Dimav) temos diversas atividades, todas relacionadas direta ou indiretamente às áreas de Bioquímica ou Biotecnologia:
1) Biotecnologia: foca a otimização da produção de biocombustíveis. Para tanto visa:
  • Contribuir no desenvolvimento de metodologias que visem a melhoria da produção de bioetanol de segunda geração a partir do bagaço de cana-de-açúcar e de biodiesel a partir de microorganismos (microalgas, bactérias, fungos). 
  • Atuar no isolamento de novos microrganismos e enzimas de ambientes biológicos eficientes para degradação de biomassa lignocelulósica (intestino de cupins, rúmen de ruminantes, suco digestivo do caramujo gigante africano)
  • Identificação de novas comunidades de microrganismos não-cultiváveis associados a diferentes fontes de celulose (bagaço de cana-de-açúcar e animais) utilizando metagenômica. 
  • Lançar mão da moderna biotecnologia para, via manipulação da expressão gênica, aumentar a produção de biodiesel em algas e bactérias.
  • No futuro, atuar no controle de métodos bioquímicos e moleculares utilizados na prática médica para dosagem de substâncias importantes, bem como métodos de diagnóstico moleculares.
  • Desenvolvimento de materiais de referência para quantificação de OGMs em alimentos.
2) Biologia Estrutural: utiliza modernas técnicas microscópicas para:
  • Analisar a organização estrutural da parede celular da cana-de-açúcar e sua composição bioquímicas buscando inovações para a produção de etanol de segunda geração;
  • Estudar a biogênese de inclusões lipídicas em microalgas, leveduras e bactérias para aplicação na produção de biodiesel;
  • Estudar ambientes biológicos eficientes para degradação de biomassa, como no rúmen de ruminantes, intestino de cupins, etc, a fim de entender melhor como os microorganismos degradam material vegetal ingerido (desenvolvimento de novas rotas para produção de biodiesel);
  • Estabelecer materiais de referência de DNA, tomando como modelos tanto o cinetoplasto de tripanosomatídeos, visando a produção de bioprodutos e biofármacos;
3) Bioengenharia: com foco na melhoria da saúde da população, visa:
  • Desenvolver processos para avaliação in vitro de biofármacos ou de bioprodutos;
  • Implantar e desenvolver protocolos para avaliação da qualidade e efetividade de implantes ortopédicos e dentários no âmbito do convênio com o Ministério da Saúde e ANVISA;
  • Implantar e desenvolver protocolos para avaliação da toxicidade de nanopartículas e coordenar a Rede Nanotox;
  • Aplicar as ferramentas da bioengenharia, da terapia celular e terapia gênica para regeneração de tecidos;
  • Implantar, desenvolver e validar métodos alternativos ao uso de animais no âmbito da Renama;
  • Participar ativamente do Grupo de Trabalho em Bioanálises (BAWG do CCQM/BIPM) contribuindo para o desenvolvimento da Metrologia;
  • Implantar o sistema da qualidade nas atividades da área de Bioengenharia e Terapia Celular.
4) Ciências Forenses: têm como missão prover à sociedade serviços especializados em metrologia e desenvolver pesquisas científicas e tecnológicas, visando à melhoria dos produtos e serviços periciais brasileiros, a disseminação das unidades de medida rastreadas ao Sistema Internacional de Unidades e dos princípios da qualidade. Dentre as suas principais atividades, destacam-se:
  • Implantação e validação de métodos e técnicas de alto valor metrológico para quantificação e qualificação na área forense;
  • Desenvolvimento de materiais de referência certificados (MRC) com o objetivo de garantir a confiabilidade das análises periciais, entre eles, MRCs para drogas de abuso, identificação humana e balística; 
  • Prestação de serviços de ensaio; 
  • Pesquisa aplicada em ciências forenses;
- Existem oportunidades para atuar como pesquisador-bolsista nível bacharel, mestre ou pós-doutor no INMETRO?
Sim, e atualmente grande parte do quadro funcional da Diretoria de Metrologia aplicada às Ciências da Vida é composta por bolsistas nos diversos níveis: Iniciação Científica, Apoio Técnico (Pro-metro) ou Pós-Doutor, além das bolsas de pós-graduação (mestrado e doutorado).
- Guilherme, uma dúvida frequente entre os alunos de bioquímica é em relação a validade do diploma em Bioquímica para concursos que não pedem explicitamente o bioquímico no edital. Este foi o seu caso. Como foi resolvido esta questão?
Apesar de não ter sido exigido explicitamente o curso de Bioquímica no edital do concurso, não tive problemas em assumir o cargo, pois o edital exigia graduação nas áreas relacionadas a Biologia e afins. No entanto, aconselho os alunos a trabalharem no sentido de inserir o nome do curso de Bioquímica nos editais pertinentes, como forma de divulgar nosso curso e evitar problemas futuros.
- Que conselhos você daria ao bioquímico hoje?
O curso de Bioquímica da UFV provou, ao longo desses 13 anos, ser referência na formação de pesquisadores com sólido embasamento teórico e experiência prática. Desta forma, aos estudantes aconselho esforço e dedicação para que se formem de forma mais completa possível, procurando absorver conhecimento não apenas nas disciplinas, mas também durante os estágios e iniciação científica, na conversa com professores e colegas de outros cursos e laboratórios. Dessa forma creio que cada um achará seu nicho, de acordo com suas preferências e objetivos pessoais.

Compartilhe este artigo:

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

0 comentários

Enviar um comentário

Bioquímica Brasil ©. Divulgando Bioquímica desde 2014!