Diferenças entre Bioquímica e outras profissões

por | out 31, 2018

1 – O que faz um Bioquímico ?

​​O Bioquímico é, essencialmente, o químico da vida. O Bacharel em Bioquímica faz uso intenso dos conceitos e tecnologias das ciências químicas e bioquímicas para manipular processos químicos dos seres vivos e biomoléculas e assim produzir produtos, processos e serviços em diferentes ramos e contextos: científico, industrial, clínico, analítico, ambiental, alimentício, farmoquímico, químico e biotecnológico.

Ou seja, além de ciência básica e aplicada, o bioquímico também aplica os seus conhecimentos no desenvolvimento e produção de produtos, processos e serviços para a sociedade, sempre atuando com um profissional da química em qualquer interface com a biologia, chancelado pelo sistema CFQ/CRQ (Conselho dos profissionais da química).Um dos grandes fatores da empregabilidade do bioquímico é a sua capacidade de transitar entre a química e a biologia e de transitar entre conhecimentos/tecnologias tradicionais e inovadoras. A capacidade de conhecer e manipular de forma profunda cada tipo de biomolécula, individualmente ou em misturas e formulações. Modificar a bioquímica utilizando os conhecimentos profundos da química orgânica, química inorgânica, química analítica, físico-química e processos metabólicos e fermentativos. Mais detalhes você pode ler aqui: O Bioquímico

2 – Diferença entre os cursos de Bioquímica e Biotecnologia

Basicamente, Bioquímica é a química na interface com biologia; Biotecnologia é ciências biológicas aplicadas, na interface com tecnologia. Essa diferença se reflete de forma bem clara no currículo e nas características do profissional, onde a Bioquímica  tem  um enfoque em químicas, exatas e em  diversas vertentes básicas e aplicadas de bioquímica, enquanto que a biotecnologia foca em ciências biológicas aplicadas. Portanto, o Bioquímico tem forte viés químico enquanto o biotecnologista tem forte viés biológico.

Uma outra diferença importante é que o Bioquímico atua em biotecnologia, mas não fica limitado a ela, como o biotecnologista. São exemplos de atuações do bioquímico fora da biotecnologia: química e bioquímica de alimentos, química e bioquímica ambiental, bioquímica clínica, toxicologia e bioquímica forense, química e bioquímica de cosméticos, bioquímica industrial,  dentre outras. Para nós bioquímicos, a biotecnologia não é um fim em si, mas apenas mais uma tecnologia a nossa disposição para manipular as biomoléculas e suas misturas e formulações, a exemplo da tecnologia química, tecnologia farmoquímica, tecnologia de fermentações, tecnologia enzimática, tecnologia de alimentos, tecnologia clínica etc. Portanto, é um erro considerar a Bioquímica como uma graduação apenas de ciências básicas, que não possui aplicações e não desenvolve produtos, serviços e processos, uma vez que possui disciplinas aplicadas (nas áreas de fermentações, toxicologia, bioquímica clínica e diagnóstico molecular, bioquímica e química de alimentos, bioquímica e química ambiental, bioquímica industrial).

Já a Biotecnologia foca mais em ciências biológicas (com disciplinas como ecologia, zoologia, evolução, genética etc).  É um erro confundir bioquímica com biotecnologia (dizendo que biotecnologia é bioquímica aplicada, por exemplo, ou dizendo que biotecnologia é para quem gosta de química e biologia. Não, biotecnologia é para quem quer aplicar ciências biológicas!), uma vez que isso expõe uma visão limitada e pouco multidisciplinar da biotecnologia. Afinal, também existe aplicações em outras ciências biológicas, tanto o é que elas estão presentes em todas as graduações em biotecnologia como obrigatórias (ecologia, zoologia, microbiologia, biofísica, fisiologia etc..) Mais detalhes você pode ler aqui: Diferenças entre o Bacharel em Bioquímica e o biotecnólogo/biotecnologista.

 

3 – Diferença em relação ao curso de Farmácia

Enquanto o bioquímico é o profissional da química em qualquer interface com a biologia, o farmacêutico é o profissional da saúde e do medicamento. Mas eles se encontram em algumas atribuições, como as análises clínicas e de alimentos: enquanto o farmacêutico irá fornecer um viés de saúde pública, o bioquímico irá fornecer um viés mais profundo de química, bioquímica.

A graduação em Farmácia sofreu reformas curriculares em 2002 e em 2017 visando corrigir a equivocada associação da habilitação em análises clínicas ao termo bioquímica, assim como  resgatar um perfil profissional ligado a saúde pública com enfoque no medicamento (farmacêutico generalista).Atualmente a profissão farmacêutica é marcada pelos conceitos de assistência farmacêutica e atenção farmaceutica] A assistência farmacêutica engloba todo o ciclo do medicamento antes do uso pelo paciente, trazendo a preocupação com a saúde do usuário final para as etapas de pesquisa, desenvolvimento, produção, formulação, qualidade, conservação, transporte, distribuição e seleção, difusão de informações e educação continuada para profissionais da saúde e pacientes. Já atenção farmacêutica caracteriza-se pelo relacionamento direto entre farmacêutico e paciente visando o acompanhamento e uso racional da farmacoterapia, incluindo: atendimento farmacêutico (interação farmacêutico-paciente), fornecimento de medicamentos (dispensação), acompanhamento da farmacoterapia e intervenção farmacoterapêutica.

Por outro lado, alguns dos antigos farmacêuticos-industriais e farmacêuticos-bioquímicos que preferiam o ensino centrado em habilidades tecnológicas e bioquímicas, com pouca inserção de habilidade humanistas e de saúde pública e sem um enfoque específico em medicamentos, preferiram fomentar a criação dos bacharelados em Bioquímica. Pode-se então dizer que o Bioquímico é o sucessor natural da antiga grade curricular de farmacêutico industrial e farmacêutico-bioquímico, porém com ampliações significativas para áreas que não a saúde.

Reconhecemos a importância dos farmacêuticos para as análises clínicas e saúde do brasileiro, mas defendemos o uso do termo farmacêutico-analista clínico em substituição ao farmacêutico-bioquímico, introduzido de forma equivocada como sinônimo de bioquímica e análises clínicas.

Mais detalhes você pode ler aqui: Diferenças entre Bioquímica e Farmácia

4– Diferença em relação ao curso de Engenharias de Bioprocessos e Engenharia Química

Enquanto o bioquímico aplica a química e bioquímica no contexto industrial em escalas pequenas (laboratorial) e médias (plantas pilotos/semi industriais), os engenheiros aplicam seus conhecimentos em largas escalas (plantas industriais).

Os engenheiros são focados em projetos e operações de plantas industriais, dimensionamento de bombas, reatores, trocadores de calor, tubulações, especificação de materiais especiais e dinâmica das reações química e bioquímicas assim como a dinâmica do dia a dia das produções industriais. Pode-se dizer que as atividades dos engenheiros são 80% a 90% relacionadas a Transferência de Calor, Mecânica de Fluídos, termodinâmica e cinética das reações químicas e bioquímicas, e por isso a fortíssima carga de disciplinas física, matemática e tecnológicas.

Já os Bioquímicos atuam em atividades relacionadas a pesquisa e desenvolvimento de novos produtos industriais (vacinas, alimentos, cerveja e biodiesel, por exemplo), no controle de qualidade de produtos e processos industriais, estudos de viabilidade técnico-econômicas, operação e manutenção de equipamentos e no tratamento de resíduos (águas e esgotos por exemplo). Caso tenha formação gerencial, poderá ainda planejar e supervisionar processos de produção biotecnológicas, gestão de projetos, análise de mercado e gestão de marketing, análise de patentes ou mesmo gestão de inovações. Cuidado! Muitos cursos de engenharia de bioprocessos são engenharia apenas no papel e seu foco se confunde com o do biotecnologista com um pouco mais de exatas. Leia mais em: Diferenças entre Bioquímicos e Engenheiros

 

5– Diferença em relação as profissões biológicas e de saúde (Biologia/Biomedicina/Biotecnologia/ profissionais da saúde)

Deve-se ter com clareza que as profissões biológicas (Biologia/Biomedicina/Biotecnologia) tem forte foco em ciências  biológicas, enquanto que a Bioquímica tem forte embasamento químico e de ciências exatas. Enquanto que a Biologia tem foco em entender e aplicar as ciências biológicas diversas, a Biomedicina enfoca nas ciências biológicas aplicadas a saúde (ciências biomédicas básicas, aspectos clínicos e de saúde pública) e a biotecnologia enfoca nas aplicações tecnológicas das mais diversas ciências biológicas.

Como a bioquímica vive na interface entre química e biologia, ela é utilizada como ciência e ferramenta de base por biólogos, biomédicos e biotecnologistas, mas neste caso não deve jamais ser confundida com a profissão de Bioquímico, uma vez que os escopos de trabalho são diferentes.  

Compartilhe este artigo:

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

0 comentários

Enviar um comentário

REDES SOCIAIS & CONTATO

FACEBOOK LINKEDIN INSTAGRAM

bioquimicabr@gmail.com

FACEBOOK
LINKEDIN
INSTAGRAM

bioquimicabr@gmail.com

Bioquímica Brasil ©. Divulgando a ciência Bioquímica desde 2014!