Intolerância à Lactose e Galactosemia: Importância dos Processos Metabólicos

por | nov 12, 2019

Entender o funcionamento metabólico de vários compostos é de extrema importância, já que várias doenças são desencadeadas por defeitos em certas vias metabólicas.

As doenças Galactosemia e Intolerância a Lactose(IL) são caracterizadas por erros no metabolismo celular, onde a falta da produção da enzima Lactase desencadeia a IL. Já na Galactosemia ocorre a falta de enzimas como, Galactose-1-fosfato uridiltransferase, enzima responsável por degradar a Galactose. Nos dias atuais a ingestão de alimentos lácteos tem sido considerado um vilão, mas é uma das principais fontes de cálcio. Logo, a IL acomete cerca de 75% da população mundial e, no Brasil, 57% da população branca e 80% da população negra.

A lactose é um açúcar presente no leite materno, onde é degradada pela enzima Lactase, ela é responsável por deixar o leite levemente adocicado. Vários compostos podem ser formados a partir de Lactose, inclusive a Galactose. Outros açucares podem ser formados pela conversão de Lactose , assim seguindo vias como , glicólise e glicogênese.

A Intolerância a Lactose é classifica em primária, secundária, congênita e ontogênica. A Intolerância primária é uma doença hereditária caracterizada por uma modificação no gene responsável por codificar a Lactase. A Intolerância secundária da lactase é causada por alteração na borda de escova do intestino adquiridas por outras doenças. A Intolerância congênita é manifestada logo na infância, quando o recém-nascido ingere leite com ausência parcial da enzima Lactase. A Intolerância ontogênica se caracteriza pela má absorção da lactose entre os dois e três anos de idade, podendo apresentar-se em adultos.

A Galactosemia é uma doença hereditária caracteriza pela falta ou defeito de enzimas presentes no metabolismo da Galactose, podendo causar sérios riscos a vida como, falha no crescimento, problemas com alimentação, destruição de hepatócitos e etc. O teste para Galactosemia é realizada em recém-nascidos pelo teste do pezinho por todo país, sendo disponibilizado pelo SUS.

Visto que a Intolerância a Lactose e Galactosemia são doenças desencadeadas basicamente pelo consumo de leite materno, onde possui o dissacarídeo Lactose, sendo metabolizado convertendo-se em outros açucares como a Galactose. Porém o leite é uma das principais fontes de Cálcio, onde é essencial para funções biológicas como a contração muscular, coagulação sanguínea, suporte estrutural do esqueleto, transmissão do impulso nervoso ou sináptico, mitose etc.

Portanto, é de extrema importância que o metabolismo da Lactose e Galactose estejam funcionando corretamente para que doenças relacionadas a estes metabolismos não sejam manifestados.

Referência: SILVA, GUSTAVO; LOPES, LEONARDO. INTOLERÂNCIA A LACTOSE E GALACTOSEMIA: IMPORTÂNCIA DOS PROCESSOS METABÓLICOS. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research - BJSCR, Http://www.mastereditora.com.br/bjscr, v. 11, p. 57-62, 31 jul. 2015.

Autor: Adílio Freitas de Amorim Júnior, membro do centro acadêmico bioquímica da Universidade federal de Viçosa.

E-mail: adilio.junior@ufv.br

Compartilhe este artigo:

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

0 comentários

Enviar um comentário

REDES SOCIAIS & CONTATO

FACEBOOK LINKEDIN INSTAGRAM

bioquimicabr@gmail.com

FACEBOOK
LINKEDIN
INSTAGRAM

bioquimicabr@gmail.com

Bioquímica Brasil ©. Divulgando a ciência Bioquímica desde 2014!