BIOQUÍMICO NA ÁREA DE ANÁLISES CLÍNICAS

por | ago 23, 2021

BIOQUÍMICO NA ÁREA DE ANÁLISES CLÍNICAS

Certamente você já abriu seus exames clínicos ,e tentou interpretar os resultados ,leu os valores de referência ,buscou na internet,ficou calmo ou se desesperou com o que leu ,e por fim levou os exames ao médico. Você já parou para pensar quais profissionais são responsáveis  por fazer as análises dos materiais coletados ,e interpretar os resultados?

O bioquímico é um dos profissionais que podem atuar na área de análises clínicas auxiliando médicos,dentistas,profissionais da área forense e do direito em suas conclusões ,validando ou não suas suspeitas. Devido a sua formação ampla o bioquímico  é capaz de relacionar os conhecimentos que adquire á respeito das várias biomoléculas e suas interações com os eventos biológicos  da saúde ou da doença, dentro dos contextos do diagnóstico molecular (biologia molecular),imunologia,microbiologia médica, bioquímica clínica e toxicologia  química.

Legalmente estamos amparados principalmente a RN36 do CFQo decreto nº 85.877/81  e a RN 224.

É importante que se diga que as análises clínicas são um meio para um dado profissional da saúde humana (médico, dentista) ou da saúde veterinária concluir a respeito do estado de saúde do paciente, então é necessário seguir parâmetros,  protocolos e regras de segurança química e biológica já existentes de forma que se preserve a lisura na análise dos exames, além da saúde dos próprios analistas clínicos.

Em geral, segue-se as fases a seguir das análises:

1) Fase pré-analítica: Nesta fase será coletado, identificado, manipulado e conservado o material bioquímico do paciente. É nesta fase onde ocorrem a maioria dos erros. Os fluidos mais comuns para exame são: sangue, urina, fezes, liquido sinovial, líquido pleural, céfalo-raquidiano, pus,saliva, entre outros.

2) Fase analítica: É nesta fase que sobressaem os conhecimentos do Bacharel em Bioquímica adquiridos em diversas disciplinas como química analítica, bioquímica analítica, biologia molecular, enzimologia, instrumental de análise, bioquímica clínica, bioquímica fisiológica, toxicologia, metabolismo e diversas disciplinas específicas para cada biomolécula. Mesmo a química orgânica e a estatística tem grande importância. Questões como emprego de controles internos e indicadores, construção e padronização de curva analítica, calibração de equipamentos, utilização de kits e equipamentos automatizados, controle e garantia de qualidade e a correlação clínicas das biomoléculas e seus parâmetros são muito utilizados aqui. Duas grandes realidades se impõe aqui: A grande automatização das análises, levando a ganhos inegáveis de tempo de entrega de resultados, menores custos e maior precisão e o Point-of-Care, que propicia uma análise mais ágil e mais próxima do local onde o paciente está.

3) Fase pós-analítica: Emissão de laudo

Dentro deste contexto, existem diversos fatores que podem interagir com o resultado do exame, resultando em um falso-negativo ou falso-positivo, o qual o bioquímico deverá estar preparado: medicamentos utilizados pelo paciente, sua resposta metabólicajejum, transporte do material, centrifugação, metrologia, reagentes, calibração e manutenção dos equipamentos, entre outros. Nos laudos, os principais erros são unidades erradas, erro de digitação, não informação de interferentes no exame, etc.

Na fase analítica é possível se analisar:

  • Glicídios: glicose plasmática,Diabetes Mellitus e hipoglicemia.
  • Função renal: ureia, creatinina e ácido úrico.
  • Aminoácidos e proteínas: avaliação laboratorial,proteínas de fase aguada,por exemplo níveis de albumina diminuídos em conjunto com ureia podem dar indicio de deficiência proteica.
  • Níveis de enzimas específicas a depender da suspeita do médico que requisita os exames.
  • Materiais genéticos.

https://capacitado.com.br/produto/auxiliar-de-laboratorio/

Seguindo os procedimentos corretos o bioquímico consegue  dar o resultado que pode ou não comprovar a suspeita clínica do profissional de saúde (médico, dentista, veterinário) sendo que,as  análises são responsáveis por nortear as decisões destes profissionais .

O  Bacharel em Bioquímica é capacitado para trabalhar com essa área de análises clínicas, respaldado dentro do ambito legal definido pelo sistema CFQ/CRQ e de fato, muitos inclusive são responsáveis técnicos por laboratórios ou por exames específicos, bastando para isso que o laboratório seja credenciado junto ao sistema CFQ/CRQ assim como o bacharel em bioquímica precisa estar em dia com seu credenciamento e anuidade junto ao CRQ da região em que mora.

 

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S167624442011000300002&script=sci_arttext&tlng=pt https://www.passeidireto.com/arquivo/59760824/apostila-bioquimica-clinica-pdf https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/13177/000386508.pdf http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S167624442011000300002&script=sci_arttext&tlng=pt http://www.catalogo.ufv.br/interno.php?ano=2020&curso=BBQ&campus=vicosa&co mplemento=*&periodo=0&disciplina=BQI%20341#disciplina

 

Geisiane Aparecida Mariano graduanda do curso de bioquímica da UFV
E-mail: geisianemariano86772@gmail.com

Compartilhe este artigo:

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

Bioquímica Brasil

O movimento Bioquímica Brasil foi fundado em 2014 por egressos e estudantes dos cursos de Bioquímica.

bioquimicabr@gmail.com

0 comentários

REDES SOCIAIS & CONTATO

FACEBOOK LINKEDIN INSTAGRAM

bioquimicabr@gmail.com

FACEBOOK
LINKEDIN
INSTAGRAM

bioquimicabr@gmail.com

Bioquímica Brasil ©. Divulgando a ciência Bioquímica desde 2014!